MOURINHO DA CULTURA

Monday, August 27, 2007

noite de sete noites

Noite de sete noites, onde estrelas
não as havia mais que as nossas mãos:
cegos de menos, víamos com elas
nossa rota das ondas, frutos sãos.

Cegos de menos, louca navegava
a boca, ou duas bocas, para o sono
do que se tinha, punha, queria, achava,
perdido e mais perfeito em abandono.

Éramos dois e um de muitos braços
lutando contra a luta, a respirar
numa praia de fogos e cansaços

entre os gritos das aves e do mar,
mansos de raiva, grandes mas escassos.
Noite de sete noites, verbo dar.

(Pedro Tamen, 1934, Portugal
in "Escrito de memória", Moraes Editores - 1973)

1 Comments:

Blogger teresa said...

Como se de um dom se tratasse, sentiste a noite dessa tua noite que se seguia sem as outras sete que já nem em ti cabiam...

5:32 AM  

Post a Comment

<< Home

Web Pages referring to this page
Link to this page and get a link back!